Aconteceu!
Sacramentos

Sacramentos

Deus invisível se comunicou, revestido com a natureza humana, em Jesus Cristo.

O motivo da ENCARNAÇÃO é redimir a humanidade pecadora através da obediência até o sacrifício de sua humanidade. Com isto Jesus se torna o caminho único e necessário para a reconciliação com Deus e a reabilitação do homem.

O sacrifício de Jesus é dom gratuito (Graça), derivado do amor, oferecido a cada pessoa humana dotada de liberdade para aderir ao SALVADOR.

A Graça é espiritual. O conhecimento humano se realiza através dos sentidos materiais. Para tornar perceptível o recebimento da Graça Jesus criou SINAIS compostos de gestos e palavras. A estes sinais damos o nome de SACRAMENTOS, que assim se definem: “Sacramentos são sinais convencionais sensíveis, eficazes instituídos por Cristo para comunicar a Graça”. São sinais convencionais (não naturais) porque dependem da vontade livre de quem cria o sinal, como há tantos em nossa vida diária: trânsito, marcas etc.

O sinal do Sacramento é eficaz porque realiza o que significa. Não apenas indica – como as nossas criações humanas – mas FAZ o que indica em força da vontade divina de Jesus de doar a Graça.Ele quer que o dom seja percebido por nós pela presença do sinal. Os Sacramentos são os únicos sinais eficazes porque são os únicos a conter a garantida vontade divina de Jesus de realizar o que significam. Portanto, só Deus pode criar Sacramentos. São sinais simples, até menos solenes de outros criados por nós Igreja como liturgias, bênçãos… que são pedidos que submetemos ao critério de Deus para realizar. A solenidade, ou o espetáculo, não são garantia de eficácia. Talvez, sim, de impressionar.

Portanto, quando queremos a Graça contida no Sacramento precisamos realizar o sinal. Quero o perdão do pecado? Preciso realizar o Sacramento da confissão.

Os Sacramentos que Jesus deixou para a sua comunidade Igreja (nós) para as diversas circunstâncias da vida são sete: Batismo, Crisma, Eucaristia, Confissão, Unção dos enfermos, Ordem, Matrimônio. Deus, que é dono da Graça, pode doar a amizade dEle também sem o Sacramento, mas isto depende da vontade dEle.

Nós, que recebemos, não podemos impor a Deus que nos presenteie o dom de forma diferente do que Ele determinou. Portanto, para nós, o Sacramento se torna necessário para iniciar a amizade com Deus (Batismo), testemunhar a fidelidade a Jesus (Crisma), alimentar nosso amor a Jesus (Eucaristia), limpar as falhas e rupturas pelo pecado da amizade(Confissão), fortalecer a fidelidade no momento decisivo de passar à eternidade(Unção dos enfermos), dedicar-se ao serviço da Igreja em promover a amizade de Jesus(Ordem), santificar e fortalecer o amor na missão de transmitir e educar a vida humana (Matrimônio).

Pe. Ervino

Deixe um comentÁrio

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*

Scroll To Top