Aconteceu!

Presbitério

O altar-mór é construído em mármore carrara, tendo em sua base fronteiriça, entre as letras “alfa” e “omega” – do alfabeto grego e que representam o “princípio” e o “fim” – um espaço onde é colocado um medalhão pintado, conforme o tempo litúrgico: advento, natal, etc. Mais acima fica o tabernáculo com porta de bronze, esculpido em alto relevo representando o Cordeiro de Deus e a fonte de água viva. Sobre o tabernáculo está o trono para exposição do Santíssimo Sacramento, em cuja cúpula se encontra o símbolo do Divino Espírito Santo, além da cruz de Cristo. Acima está o suporte de sustentação da imagem de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, esculpida por Marino de Fávero em 1954. Ela está colocada no centro da pintura de uma revoada de anjos em sua Assunção. Do lado direito vê-se a cerimônia litúrgica que proclamou o dogma da Assunção de Nossa Senhora, celebrada pelo Papa Pio XII, em 1950. À esquerda está a cena da visita dos apóstolos ao túmulo de Nossa Senhora, vendo maravilhados a subida da mãe de Deus aos céus.

No alto dos murais encontram-se as figuras de trÊs santos, símbolos da inocência: São Luiz Gonzaga, no centro, Santa Maria Goretti, à esquerda e Sata Inês, à direita.

Na confluência dos arcos centrais, quase no teto, em dois medalhões estão: à direita, Moisés e as tábuas da lei, com os raios de luz que saem de sua cabeça devido ao contato direto com Deus; à esquerda, São Mateus e o livro do seu evangelho, onde ressalta que Jesus, o Filho de Deus, ensina a compreensão plena da lei confiada a Moisés no Antigo Testamento.

Na parede direita temos: ao alto, o vitral do Bom Pastor; dos lados, os brasões de João Batista Scalabrini e da Congregação dos Padres Carlistas; abaixo o painel de Nossa Senhora tomando o corpo de Jesus em seus braços após a descida da cruz. Na parte baixa da parede estão representados símbolos de 6 invocações das 51 que compõem a Ladainha de Nossa Senhora, com as respectivas inscrições em latim: “Vas Insigne Devotiones (Vaso de Insigne Devoção); “Regina Pacis” (Rainha da Paz); “Regina S. Rosarii” (Rainha do Santíssimo Rosário); “Mater Intemerata” (Mãe de Extremo Amor); “Spelium Justitiae” (Espelho de Justiça) e “Stella Matutina” (Estrela da Manhã).

Na parede esquerda temos no alto o vitral “Cristo com os discípulos de Emaús”; dos lados, os brasões do Cardeal Arcepispo de São Paulo, D. Carlos Carmelo de Vasconcelos Mota, e o de D. Jorge Marcos de Oliveira, 1º bispo diocesano de Santo André; abaixo o painel da “Anunciação de Maria, pelo anjo Gabriel”. Na parte baixa da parede, estão representados outros 6 símbolos de invocações, da ladainha, em latim: “Rosa Mistica” (Rosa Mística); “Turris Davidica” (Torre de Davi); “Turris Eburnea”; (Torre de Marfim); “Domus Aurea” (Casa de Ouro); “Foederis Arca” (Arca da Fé) e “Janua Coeli” (Porta do Céu). No centro do teto, o painel da Assunção de Nossa Senhora ao céu, tendo ainda as figuras de São Carlos Borromeu, padroeiro da Congregação dos Padres Carlistas, e de São Pascoal Baylon, o teólogo da eucaristia. Ladeando o painel, a representação dos sacrifícios de São Lourenço Mártir (à direita) e de Isaac (à esquerda).

Todas as pinturas do presbitério foram executadas por Pujol Sabaté, em 1953.

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top