Aconteceu!
O Batismo

O Batismo

A primeira Graça da Redenção de Jesus é a AMIZADE doada aos humanos. Este relacionamento se efetua com o sinal do BATISMO conferido àquele que se empenha de viver na fidelidade a Jesus.(FÉ)

Deus oferece grátis a salvação. O homem presenteado deve, no uso de sua liberdade, optar por aceitar o compromisso de obedecer, em seu comportamento e convicções, aos ensinamentos e exemplos de Jesus. É necessária a resposta humana da FÉ consistente na obediência a Jesus com os fatos. FÉ é vivência e não sentimentalismo, ou vaga expectativa. O Batismo torna filho adotivo de Deus, membro da comunidade de salvação (a Igreja), herdeiro marcado (caráter) para felicidade eterna do céu. Portanto, requer copiar a pessoa de Jesus: pensar como Jesus, agir como Jesus, viver os valores e as verdades de Jesus: SER como Cristo (=cristão).

O Batismo, que é conferido uma vez só (nascemos uma vez só) exige que o cristão:

1- conheça, estude, assimile, aprofunde o ensinamento e a pessoa de Jesus. Quem ama quer conhecer, dedica tempo;

2- evite ideologias, comportamentos, modas, doutrinas, opiniões que deturpam, ou contrariam o ensinamento de Jesus confiado à SUA Igreja, que é a Católica:”Ide fazer discípulos entre todas as nações, e batizai-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-lhes a observar tudo o que vos tenho ordenado (Mt.28,19-20). “Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado”(Mc.16,16).

Seguir outras doutrinas, ter outras opções é TRAIR a amizade com Jesus doada no Batismo. Portanto, é correr o risco de perder a vida eterna feliz (ver Mt.7,21-23).

O Batismo é dado também a crianças que ainda não conhecem seu valor. Sendo um dom precioso, por que privar dele as crianças? Os pais possuem jurisdição sobre decisões que direcionam a vida dos filhos. O batismo é dado às crianças a pedido dos pais. É lógico, portanto, que os pais assumem a grave obrigação de conscientizar, ensinar, educar o filho na doutrina de Jesus e no seguimento. É nos braços dos pais, os primeiros catequistas, que a criança conhece Deus, Pai do céu, e aprende a amá-Lo. Os pais ensinam com a palavra e com o exemplo: faça o filho como os pais fazem. Fica a pergunta: como pais pedem para o filho a amizade com Jesus quando eles mesmos não a vivem nem pessoalmente, nem na família: não praticam, não casados, não rezam…vivem em pecado? Estes pais devem ser os primeiros a se converter.

A Igreja pede mais uma garantia: são os padrinhos que devem ajudar (ou suprir) os pais na educação da FÉ. Os padrinhos precisam ser MODELOS de vida cristã. Os pais não se podem trocar, mas os padrinhos devem ser selecionados pelo critério de vida cristã, e não de parentesco, compadrio, e muito menos de presentes.

Fomos batizados. É honra ser filhos adotivos de Deus. Precisamos viver nosso status.  Jesus Salvador não veio condenar, mas corrigir, orientar para a felicidade. Somos células do Corpo Místico de Cristo, inseridos na sua crucifixão, ressurreição e direito ao céu: células sadias, ou cancerosas? Ramos com frutos, ou ramos secos? Comunicadores de vida, ou vida de mortos? Assumimos nosso valor? Qual a data do seu Batismo? Comemora?

Por Pe. Ervino

Deixe um comentÁrio

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*

Scroll To Top